quarta-feira, 12 de agosto de 2009

A 1a. bebê com duas mães biológicas: homem pra quê?


Freud se revira na tumba: Lluna é o nome da primeira bebê do mundo a ser registrada com duas mães biológicas. O fato ocorreu na Espanha, onde um casal de lésbicas fez o seguinte: o óvulo de uma foi implantado na barriga de outra. Ao pai biológico, é preservado o anonimato, da mesma forma que nos casos semelhantes.

Não me causou espanto a notícia. A técnica é pra lá de antiga - lembram quando se falava direto em "Barriga de Aluguel"? O que me chama atenção é que este fato é mais uma comprovação de uma teoria que tenho há algum tempo: os homens são realmente necessários para dar continuidade à espécie humana? Certamente que sim, pois sem o seu "suco", a gravidez não ocorre.

Mas agora imaginemos o seguinte cenário: o mundo dominado pelas mulheres. A tecnologia biomédica está evoluída a ponto de ser possível escolher o sexo do bebê com 100% de certeza. De tempos em tempos, as mulheres escolhem entre elas as suas melhores espécimes para engravidar, dão a luz a um bebê homem, que será criado em cativeiro, e que terá a partir de sua puberdade condições de fornecer seus espermatozóides a milhares de mulheres. E assim a vida humana prossegue sua jornada.

Claro que nos dias de hoje ainda existe a dependência física e psicológica das mulheres (algumas com mais, outras com menos) em relação aos homens. Mas a evolução deverá tratar este assunto: à medida que a "necessidade de homem" for diminuindo - como evidencia esse caso ocorrido na Espanha - também diminuirá gradativamente a dependência. Ambiente mais que propício para o cenário que apresentei antes.

Será que chegou a hora das mulheres vingarem os milhares de anos de dominação masculina?

14 comentários:

  1. Acho que a tendencia vai ser mais para o lado que o Aldous Huxley coloca no Admiravel Mundo Novo...

    ResponderExcluir
  2. Um mundo apenas de mulheres é um mundo que funciona só 75% do tempo. Mulheres tendem a sincronizar os relógios biológicos e a TPM é que vai dominar o mundo.

    Ah! Essa opinião é baseada nos depoimentos de amigas, não é minha.

    ResponderExcluir
  3. Ah, a mãe da "barriga de aluguel" não é considerada "mãe biológica"...

    Me avisem quando eles pegarem o núcleo de um óvulo de uma mulher, inserirem no óvulo de outra, gerarem um embrião válido e aí botarem pra fecundar. Aí teremos duas "mães biológicas", já que a menininha vai ter "os olhos dessa mãe e a boca daquela mãe"...

    Na prática dá pra pensar cenários ainda mais interessantes, em que uma mulher gera uma clone de si mesma, trocando o núcleo do óvulo pelo de outra célula qualquer. Isso sim que é "produção independente"!

    ResponderExcluir
  4. Geneticamente falando, o Hisham tem razão, mas considerando que muitas características pessoais se definem durante o comportamento materno na gestação, acredito que essa criança terá alguns traços (mesmo que psicológicos) da barriga emprestada.
    Quanto ao domínio das mulheres, não sei, mas o que posso adiantar é que talvez os grupos homossexuais sejam tão grandes quanto os etero. Na Espanha, onde se gerou a notícia, o relacionamento gay é muito comum, tanto entre homens como em mulheres. Se pode ver em todos os lugares "casais" do mesmo sexo.

    ResponderExcluir
  5. " ... mas tem as olhas da papai ... " - Chapolim, O Rei Salomão

    ResponderExcluir
  6. Bom argumento para começar um filme de sci-fi -- e só. A "visão", por assim dizer, de futuro do Gustavo neste texto está muito mais para uma alegora do que possibilidade de fato.

    Afinal de contas, estas visões ultracientíficas de socidedades avançadas são típicas de primeiro mundo, e esquecemos que a maior parte da sociedade mundial dificilmente terá acesso a estas evoluções tecnólógicas. Hoje, vivemos no mundo onde a comunicação é estupendamente fácil, e ainda assim temos grupos humanos vivendo tal qual 100 mil anos atrás. Esta situação não deve ser diferente daqui a quatro séculos...

    ResponderExcluir
  7. Para acabar com os homens, primeiro tem que inventar pneus que nao furam... senao, quem vai trocar o pneu???

    ResponderExcluir
  8. Roberto, eu aprendi a trocar pneu com a minha mãe. :D

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Bem, acho isso aí muitoooooooooooooooooo radical...
    Qual ia ser a graça de um mundo só de mulher?
    Tirando as feministas extremistas e lésbicas, acho q nenhuma mulher ia querer isso.

    ResponderExcluir
  11. De verdade, de verdade, acho que nem as feministas nem as lésbicas. ;)

    ResponderExcluir
  12. Nossa... um mundo só de mulheres... seria legal... lutas na lama, beijos femininos, guerra de aranhas... peitos e bundas pra tudo que é lado... pena que a evolução estagnaria já que as maiores invenções e descobertas humanas são masculinas!!! HEOAHEOHAEOHAEHAE OAHEOAHEOAHEOHAEO AHEOAHEOHAHEOAEAHEAEO

    ResponderExcluir
  13. Sabe-se que cientistas conseguiram criar precursores de espermatozóides a partir de células tronco de embrião de camundongo e os usaram para fertilizar óvulos. Sendo assim se o mesmo ocorrer com os humanos, a rapaziada estará com os dias contados. (fonte:http://www.drashirleydecampos.com.br/noticias/8822)

    ResponderExcluir
  14. Uau isso é bem.....sei lá meu, meio lésbica, mas feminista

    ResponderExcluir